Preloading Soc. Com. C. Santos
Loading...

Notícias

Luxo e dinamismo: estreia do Classe S Coupé (série 140) foi há 30 anos

21/01/2022 12:50

Com design estilizado e muita qualidade percecionada, os coupés de luxo sempre tiveram um lugar especial na Mercedes-Benz. A série 140, é hoje uma das que melhor reflete o brio do segmento, destacando-se não só estilisticamente mas também pelo poder tecnológico e carácter dinâmico evidenciados e que fizeram dela uma referência há 30 anos na indústria automóvel.

Os elegantes modelos de duas portas da série 140 da Mercedes-Benz tiveram a sua estreia mundial no Salão Automóvel Internacional da América do Norte (NAIAS) em Detroit, de 11 a 19 de Janeiro de 1992. À estreia norte-americana, seguiu-se a europeia, no Salão Automóvel de Genebra, de 5 a 15 de Março de 1992. Em ambos os lados do Oceano Atlântico, as críticas foram unânimes: o Mercedes-Benz 500 SEC e 600 SEC (inicialmente foi esta a sua designação) estavam acima de toda a concorrência, apresentando-se como a referência entre os Coupés luxuosos.

Inicialmente, foram oferecidas as duas variantes: 500 SEC (motor V8 com 4.973 cc de cilindrada e 235 kW/320 cv) e 600 SEC (motor V12 com 5.987 cc de cilindrada e 290 kW/394 cv). A potência do motor correspondeu à das respetivas berlinas Classe S da série 140.

A partir de 1994, um terceiro modelo, com um motor V8 de 4,2 litros com quatro válvulas por cilindro, complementou a gama de modelos de coupé de luxo. Nessa altura, porém, já não tinham a designação SEC, mas eram conhecidos como Classe S Coupé na sequência da introdução da nova nomenclatura Mercedes-Benz para todas as séries de modelos de automóveis de passageiros, em Junho de 1993. Desde 1996 até ao final da produção em 1998, os elegantes modelos de duas portas foram finalmente denominados de Classe CL.

Esta combinação única de elegância luxuosa e desempenho desportivo deleita os amantes da marca tanto hoje como há 30 anos atrás. No total, foram produzidos exatamente 26.022 unidades do coupé da série 140, na fábrica de Sindelfingen, na Alemanha, durante seis anos. Destes, quase um terço eram modelos com motorização de topo V12 (8.573 veículos). Significativamente mais de metade dos clientes optaram pela variante com o motor V8 de 5 litros (14.953 veículos).

Luxuoso e tecnológico

Na verdade em 1992, o 600 SEC era o automóvel de produção em série mais caro fabricado na Alemanha, com o seu equipamento opulento, que não incluía, ainda assim, muitos itens adicionais disponíveis a pedido pelos clientes. Hoje, três décadas depois, todos os fascinantes coupés de luxo desta série, com interiores em madeira fina e couro, brilham como estrelas especiais entre os “jovens” e foram há muito detetados por entusiastas como testemunhas contemporâneas elegantes do início dos anos 90, sob o signo do luxo e da tecnologia inovadora. Em 2022, os Coupés SEC estarão entre os primeiros candidatos particularmente exclusivos para receberem o estatuto de modelos históricos, qualidade que os seus 30 anos após a sua primeira matrícula já lhe oferecem.

Tecnologicamente, os coupés de luxo da série 140 estiveram na vanguarda com a introdução do Programa Electrónico de Estabilidade ESP®, o sistema de assistência pioneiro desenvolvido pela Mercedes-Benz em colaboração com a Bosch e que foi revelado em estreia mundial em 1994. Também noutros aspetos, o desenvolvimento do modelo Coupé - tal como com a limousine Classe S - centrou-se no aperfeiçoamento do conforto e da segurança.

Entre os muitos itens disponíveis, destaque para os vidros duplos que permitiam uma notável acústica, os cintos de segurança com ajusto elétrico, a regulação elétrica dos bancos (com função de memória de série no 600 SEC), e de controlo automático da climatização com zonas separadas para condutor e passageiro dianteiro (de série no 600 SEC), sem esquecer as melhorias e inovações na suspensão que incluíam um novo eixo dianteiro com duplo triângulo de suspensão mais desenvolvido e uma confortável e eficiente suspensão independente multi-link traseira com localização revista.

Sem dúvida, um automóvel de nobre linhagem, tecnologicamente avançado e que elevou os patamares de segurança a outro nível,  com design marcante e cheio de “personalidade”, e que, ainda hoje, três décadas depois do seu lançamento, não deixa ninguém indiferente.